Arquivo da tag: teatro

OPovoempé no centrão: Aqui dentro, aqui fora

aquidentroaquifora

O grupo OPOVOEMPÉ leva o público a uma caminhada pelas ruas do centro de São Paulo durante o espetáculo “Aqui Dentro, Aqui Fora”, em cartaz até 27 de outubro. Nesta reportagem do Metrópolis, me identifiquei com a sensação de retomar o espaço público como lugar de acolhimento, de encontrar miragens e projetar sonhos durante a caminhada. Senti isso durante a Virada Cultural,  às 3 da manhã em vielas e cantinhos impraticáveis durante os dias comuns.

9:50 Qualquer Sofá no Tusp

myblog qualquer sofa (1 of 1)

A moça apoiada na parede é Cristiane Zuan Esteves, diretora de “9:50 Qualquer Sofá”, em cartaz no Tusp.

Já vi o espetáculo na Casa das Caldeiras e gostei muito. As meninas usam uma técnica corporal muito interessante (ensaiei com elas algumas vezes). O corpo é afinado para entrar em sintonia com outras pessoas de tal forma que, de improviso, todos fazem o mesmo movimento ao mesmo tempo, sem saber como, sem pensar.

Nesta sexta, Cris comemora seu aniversário em cena. Quero comemorar com você pessoalmente, Cris. Se não der, aqui vai um pique pique de blog para blog.

9:50 Qualquer Sofá

Uma mulher é atingida por um raio e sobrevive. Um homem pula da ponte atrás de 10 reais. Utilizando um sofá branco e folhas de papel, quatro mulheres narram, dançam e criam imagens sobre diversos fatos reais que nos causam perplexidade. Pequenas aberturas, acidentes e ações que vêm romper a lógica cotidiana e questionar nossas certezas formam, com humor e leveza, este poema teatral coreográfico.

Teatro da USP – TUSP
Rua Maria Antônia, 294, Consolação, São Paulo

De 6 a 28 de agosto, quintas e sextas, às 21h30
duração: 50 minutos
idade recomendada: 12 anos
R$ 20 (inteira), R$ 10 (meia)

Artesãos do Corpo em foto na Galeria Olido

Exposicao na Galeria Olido - Sao Paulo SP Exposicao na Galeria Olido – Sao Paulo SP

O fotógrafo Fábio Pazzini expõe a partir de sexta, dia 5, fotos do grupo Artesãos do Corpo na Galeria Olido. Os bailarinos/atores são uma das paixões de suas lentes. Fábio adora falar sobre o dia em que todo mundo ficou pelado, o dia em que isso e aquilo. São dez anos de palco, rua e fotos, explica ele.

Amigo, dessa vez acho que não vou conseguir aparecer… Beijos de blog, então. E suerte.

De 5 a 14 de junho
Galeria Olido
av. São João, 473 – Centro – São Paulo – SP

Outra tropa de elite vai para a Alemanha

chris esteves

Chris Esteves é uma diretora brasileira que pesquisa teatro documental, aquele que não trabalha com atores. Por conta disso, levou parte dos policiais que fizeram o projeto Chácara Paraíso para a Alemanha, a convite do diretor Stefan Kaegi. Juntos, eles participam do festival Spiel Art em Munique, com a performance Soko São Paulo, em 20 de novembro:

soko sao paulo

Tropa na esquina

A idéia de uma outra Tropa de Elite não me sai da cabeça desde que eu e Chris nos encontramos por acaso, aproveitamos para tomar um café e começamos a nos despedir em uma esquina da Vila Madalena. Foi um papo desses em que você se despede mil vezes, sempre emendando um assunto mais interessante no outro, protelando a despedida.

- Serão seis policiais brasileiros, seis alemães, explica Chris na primeira tentativa de um tchau.

- Como é que é?

- Tem o policial que treina cachorros e vai levar a cadela Agata…

- Será que é aquela labradora fofa que ajudou no resgate do acidente do Metrô?

- Não, não é.

- Ela ia se aposentar.

Aposentados têm tempo para viajar, certo? Podia ser uma viagem por mérito, uma cachorrinha tão valente, farejadora de escombros, sempre de lencinho no pescoço para fotos.

- Não é não, é outra. Tem a mulher do Copom, que atende a chamados de emergência pelo telefone. Tem um policial que participou da invasão da USP, um outro que toca contrabaixo e a Eliana, que foi da primeira turma de mulheres a serem aceitas na polícia.

- Invasão da USP? Essa agora?

- Não, aquela do Crusp, mais antiga, na época da ditadura…

- Ah, tá…

Oingo e Boingo falham nas conexões em cada situação… Ainda bem que é amiga, não repara.

- É interessante ver como esses policiais encaram a profissão como uma missão. Mas eles têm a linguagem e o discurso da corporação impregnada neles.

Diana, outra amiga, passa esbaforida e interrompe a conversa: “Acredita que furou o pneu do meu carro? Justo agora?”

- Você não vê uma categoria, os policiais.

Chris começa a perceber que a despedida virou entrevista com a aparição de papel e caneta.

- Não são os policiais, são as pessoas e suas histórias, que revelam as contradições que vivem.

Encerramos a sessão despedida e deixo a amiga seguir seu rumo, em direção à Alemanha.

Soko São Paulo

São Paolo is one of the most dangerous places in the world. Munich is the most secure city in Germany. In January 2007 the Swiss specialist in documentary theatre Stefan Kaegi (Rimini-Protokoll) and the Argentine author and stage director Lola Arias developed together with 17 Brazilian policemen a scenic installation in São Paulo. In small groups the audience met policemen, human beings with biographies full of contradictions. Now six of these Brazilian policemen come to Germany to meet their Munich colleagues. SOKO SÃO PAULO is a scenic installation, in which Brazilian and German policemen reconstruct their experiences as representatives of the law. In small chambers they show photos and tell their memories as if they were attendants of their own lives.”

With: Isabel Cristina Amaro, Thago de Paula Santos Alves, Marcel Lima, Pedro Amorim, Sebastião Teixeira dos Santos, Ellana Gombes Viana Pires, Rudi Baier, Verena Kunze, Klaus Röschinger, Bennie Baumann, Johann Beck. Special guest: Günther Koch (football reporter)

Entre xarás: Trinta Anos, Três Anas

Voltei com uma cestinha cheia de recados dos amigos depois de uma ausência para cuidar da vida. O último post foi antes do feriado, nossa.

Para quem gosta de fotografar, tem o convite da Bianca Piragibe, jornalista e atriz. Ela avisa que quinta, dia 13 de setembro, às 18h30, haverá sessão para imprensa de Trinta Anos, Três Anas no Teatro do Ator (Praça Franklin Roosevelt, 172, Consolação, tel: 3257-2264). O espetáculo fica em cartaz até 15 de dezembro, sempre aos sábados, às 19h.

“No dia em que completa 30 anos, Ana faz um balanço de sua vida”, resume a sinopse.

Bianca Ana

Foto: Iberê Thenório.